terça-feira, 25 de abril de 2017

Elton John contrai infecção bacteriana está internado na UTI de hospital na Inglaterra

Resultado de imagem para elton john
O cantor Elton John cancelou os cinco shows que faria no Colosseum de Las Vegas esta semana e na próxima devido a uma infecção bacteriana que o deixou dois dias hospitalizado na semana passada. Além disso, a apresentação em Bakersfield, na Califórnia, no dia 6 de maio também não irá mais ocorrer.
O músico começou a passar mal logo após a recente turnê na América do Sul, que no início deste mês passou por Curitiba, Rio, Porto Alegre, São Paulo e Santiago.
No Reino Unido, Elton foi rapidamente encaminhado a um hospital, onde passou duas noites internado sob cuidados intensivos. Ele recebeu alta no último sábado, 22, e agora está em casa descansando. O próximo show está marcado para o dia 3 de junho em Londres.
“Tenho tanta sorte de ter os mais incríveis e leais fãs e peço desculpas se estou os desapontando”, disse o astro em comunicado à imprensa.

fonte: Estadão

Mindfulness funciona mais para as mulheres, diz estudo



Baseada em práticas como a meditação e o yoga, a técnica foi mais eficiente para elas

Parar a rotina e dar aquela respirada com certeza faz bem – sobretudo se você for muito estressado ou ansioso. E a técnica do mindfulness vai nesse sentido: focar a mente em tudo que está a volta e que passa muitas vezes despercebido. Essa é a base de práticas zen como a meditação e o yoga, e orienta a busca de quem quer ter seus momentos longe do restante do mundo.


O que um estudo promovido por cientistas americanos aponta é que essa pode não ser a fórmula mágica para a paz interior – sobretudo se você for homem. De acordo com a pesquisa, enquanto meditar levantou a moral das mulheres, a resposta do sexo masculino foi bem menos significativa em quase todos os aspectos.
O estudo acompanhou 77 estudantes universitários, sendo 41 homens e 36 mulheres. Eles participaram de um curso que ensinou as técnicas do mindfulness durante 12 semanas. As aulas foram divididas em três sessões semanais com uma hora de duração. Contando os períodos dentro e fora da aula, a média de contato que os participantes tiveram com a meditação ficou na casa das 41 horas.
Depois, todos foram submetidos a questionários pessoais de avaliação, em que deviam responder acerca de seu humor, o quanto se sentiram impactados pela técnica, e o quanto mudaram desde o começo da prática. Enquanto a melhora que as mulheres relataram foi de 11,6%, os homens tiveram aumento de 3,7% – pouco relevante, segundo com os cientistas.

Por que minha voz soa estranha quando a escuto numa gravação?



Por que, quando escutamos a própria voz em uma gravação, ela soa estranha? Minha voz não parece ser a minha.
Lucivaldo Saccardo, Quirinópolis, GO
A sua voz de verdade – a que todo mundo escuta – é a que está no gravador, Lucivaldo.
Você acha sua voz diferente desta porque escuta a mistura de dois sons: a voz propagada pelo ar e a que reverbera dentro do seu corpo. Esta é conduzida da garganta aos ossos cranianos e captada pelo ouvido interno – para escutá-la de forma isolada basta tapar as orelhas.
Já a segunda não passa pelos ossos, então soa mais aguda do que você espera. Mas calma: ela nunca é tão horrível quanto você pensa.
Fonte: Livro Barulho, Água e Carne: a História do Som nas Artes, de Douglas Khan

Quem vai parar na greve do dia 28 em São Paulo

Resultado de imagem para greve geral
São Paulo – Centrais sindicais ameaçam uma greve geral nesta sexta-feira, dia 28, contra as reformas da Previdência e trabalhista do governo Michel Temer (PMDB), que devem ser votadas no Congresso nos próximos dias. 
Em São Paulo,  ao menos seis categorias já confirmaram adesão ao dia de protestos e outras seis têm assembleias marcadas para os próximos dias.
A manifestação foi marcada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), Frentes Brasil Popular, Povo Sem Medo, entre outras organizações.
Segundo a CUT, os representantes sindicais estarão presentes no protesto marcado para às 17h no Largo da Batata, Zona Oeste de São Paulo.
Veja a lista das entidades confirmadas para o ato desta sexta-feira (28):
Sindicato dos Metroviários de São Paulo: A categoria confirmou participação na ameaça de greve de sexta-feira, dia 28, contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, a terceirização e privatização. Relembre: Os pontos da lei da terceirização que mais podem afetar você  
Segundo a assessoria de imprensa do sindicato, a expectativa é que, durante 24 horas, as linhas 1-Azul (Jabaquara/Tucuruvi), 2-Verde (Vila Madalena/Vila Prudente), 3-Vermelha (Corinthians Itaquera / Palmeiras Barra Funda), 5-Lilás (Capão Redondo/Adolfo Pinheiro) e o monotrilho da linha 15-Prata (Vila Prudente/Oratório) do Metrô fiquem paradas.
Apenas a linha 4-Amarela, que é administrada pela ViaQuatro, deve funcionar.
Sindicato dos Ferroviários de São Paulo: Para deliberar sobre a adesão da categoria à ameaça de greve, o sindicato convocou todos os ferroviários da CPTM, MRS e Vale para Assembleia Geral Extraordinária nesta terça-feira, dia 25.
Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo: Ainda não há previsão se a classe vai aderir ou não ao protesto.
Sindicato dos Rodoviários e Anexos do ABC: Haverá assembleia nesta terça-feira, dia 25, para definir o horário para a paralisação.
Sindicato dos Professores de São Paulo: Professores da rede particular de ensino decidiram paralisar suas atividades nesta sexta-feira. De acordo com o sindicato, que representa cerca de 50 mil profissionais do ensino infantil ao superior, a paralisação já está confirmada em pelo menos 100 escolas.
Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo: Os professores da rede pública estadual aprovaram participar da mobilização.
Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo: Pelo menos oito em cada dez bancários decidiram pela participação da categoria na mobilização.
Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo: O sindicato confirma a adesão da categoria à greve contra as reformas trabalhista, previdenciária e a terceirização geral.
Sindicato dos Trabalhadores Químicos e Farmacêuticos de São Paulo: Há indicativo de adesão, mas a reunião com a diretoria será realizada nesta terça-feira, dia 25.
Sindicato Nacional dos Aeronautas: Os pilotos e comissários de voo de todo país decidiram hoje (24), em assembleia, decretar estado de greve. Uma nova reunião da categoria está marcada para a próxima quinta-feira (27), quando os profissionais decidirão se paralisam suas atividades ou encerram o movimento.
Sindicato dos Aeroviários no Estado de São Paulo: De acordo com o departamento Jurídico do sindicato, a categoria vai aderir ao movimento.
Sindicato dos Correios de São Paulo: O sindicato convoca os trabalhadores para deflagrar greve unificada, no entanto, a categoria só vai realizar assembleia nesta quarta-feira, dia 26, às 22h.
fonte: Revista Exame

Com 100 dias de governo, Dória já fala em deixar a prefeitura de SP

Resultado de imagem para doriaHá menos de cem dias no comando da Prefeitura de São Paulo, João Doria (PSDB), já admite que pode deixar o cargo para se candidatar ao governo do Estado; ele afirma que faria isso atendendo a um pedido do governador Geraldo Geraldo Alckmin (PSDB), ao qual reforça a fidelidade sempre que confrontado com a possibilidade de uma candidatura à Presidência

 Perto de completar cem dias de governo, o que acontece nesta segunda-feira, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), admitiu pela primeira vez que pode deixar o cargo para se candidatar ao governo estadual. Isso caso haja um pedido do governador Geraldo Alckmin (PSDB), ao qual reforça a fidelidade sempre que confrontado com a possibilidade de uma candidatura a presidente.


"Bom, se ele pedir, mais adiante ou no futuro, vamos analisar essa situação [candidatura ao governo do Estado]. Hoje ela não existe, não houve apelo. Eu nem sequer trato desse assunto com o governador, que sabe da minha lealdade. Aliás, um dos valores que preservo é a lealdade.
Seria desleal não manter a minha linha de apoio ao Geraldo Alckmin como meu candidato à Presidência. Ele é um homem correto, um homem bom, fazendo um excelente governo no Estado de São Paulo.  
Nas (atuais) circunstâncias, sim. Ele tem todas as condições para seguir sua trajetória. Defende o que eu defendo: prévias para a Presidência, assim como para o governo do Estado. É um bom caminho, bastante democrático e a melhor antítese ao caciquismo e defesa de privilégios."
"Em entrevista para falar dos primeiros dias à frente da Prefeitura da mais importante cidade do País, Doria se mostra no controle de tudo o que ocorre em sua volta e 'acelera' ao destacar números e ações como gestor. Sem parar um minuto, compartilha parte da conversa pelo Instagram e admite que o uso das redes sociais já é uma de suas marcas, amplamente copiada."
Doria reconhece o movimento que quer sua candidatura à Presidência, mas diz que isso não parte dele.
"Existe, mas ela não é nem provocada por nós nem alimentada ou acolhida por nós.
A onda é provocada pela eficiência da gestão. Não tenho 70% de aprovação porque falo da Bandeira Brasileira, canto o Hino Nacional ou me refiro ao Brasil. Mas devo afirmar a você que São Paulo é a capital do Brasil."

Teste rápido Chevrolet S10 2.5 Flex AT 4x4 - De olho no espaço perdido

s10-flex-at-3

O melhor motor flex entre as picapes a S10 já tinha. Será o câmbio automático suficiente para recuperar a liderança do segmento?

A Chevrolet não é líder do mercado brasileiro à toa. Primeiro lugar entre os hatches e sedãs compactos, com Onix e Prisma, respectivamente, a marca sabe que a sua picape média, a S10, está atrás da rival Toyota Hilux desde novembro de 2015. Mas a aposta para roubar a ponta da Hilux está aqui na linha 2018: é a nova versão com motor flex e câmbio automático, combinação inédita na gama.    

Chevrolet S10 2.5 Flex

O que é?

A S10 pode bater no peito e dizer que tem o motor flex mais moderno e potente das picapes médias. O 2.5 litros de 4 cilindros tem injeção direta de combustível, construção em alumínio e duplo comando de válvulas com variador na admissão e escape. Rende 197/206 cv de potência e 26,3/27,3 kgfm de torque, até a linha 2017 transferidos ao chão por um câmbio manual de 6 marchas. 
Segundo Hermann Mahnke, diretor de Marketing da GM Mercosul, os públicos das picapes médias flex e turbodiesel são diferentes. Enquanto um mora no campo e precisa da autonomia e força do motor diesel, o outro mora na cidade, usa a picape em terrenos menos irregulares e precisa da versatilidade da caçamba. A questão é que, até então, apenas a Hilux oferecia o câmbio automático ligado ao propulsor flexível e, com isso, atraiu clientes que seriam preciosos para os números da S10. 
Chevrolet S10 2.5 Flex
 
Chevrolet S10 2.5 Flex
Na prateleira, estava o câmbio automático da versão a diesel. A caixa de 6 marchas suporta a tração 4x4 e tem respostas rápidas, além de ser robusta ao integrar todo seu sistema eletrônico dentro do corpo, protegido de água e umidade. As relações foram reescalonadas para atender à nova demanda, mas continua com força nas marchas iniciais e baixas rotações nas finais, para economia de combustível, principalmente na estrada. 
A engenharia também trabalhou na parte de coxins do motor, câmbio e carroceria. Mais robustos, filtram melhor a vibração do conjunto mecânico e a movimentação da carroceria no chassi, mais firme e controlada que na versão 2017. O mesmo deve acontecer nas versões diesel, que serão lançadas na linha 2018 em breve. 

Como anda?

Fomos até o Campo de Provas da Cruz Alta, em Indaiatuba (SP), para conhecer a nova S10 Flex automática. Na pista D1, com cerca de 5 km de extensão e diversos tipos de asfalto, inclinações e curvas, a picape foi colocada em situações de cidade e estrada. 

Chevrolet S10 2.5 Flex

Com o câmbio manual, a S10 2.5 mostrava desempenho muito bom. Para a versão automática, a Chevrolet calibrou o acelerador para responder imediatamente, melhorando ainda mais a sensação de controle sobre a aceleração e torque da picape. Com as trocas rápidas de marchas (que a marca diz se igualar a um câmbio de dupla embreagem), o aproveitamento do 2.5 é ampliado. Apenas em subidas mais íngremes a redução de marchas se faz necessária, para levar os 1.900 kg da picape - rodamos com a versão LTZ com tração 4x4, a mais pesada. Não há milagre, já que não há um turbo soprando ou os 51 kgfm de torque da versão diesel.
Em nossos testes instrumentados, porém, a nova versão da S10 não ficou devendo para a turbodiesel, com quase o dobro de torque. Foi melhor na aceleração de 0 a 60 km/h (3,8 s contra 4,3 s) e de 0 a 80 km/h (5,9 s contra 6,8 s), revelando ser mais rápida na cidade, mas ficou atrás até os 100 km/h, registrando 11,8 s versus 10,2 s da diesel. Na hora de parar, a picape flex precisou de 42 m para estancar vindo dos 100 km/h, uma marca de respeito. E não "fumou" os freios, diferentemente da turbodiesel em nosso teste anterior. Não testamos o consumo por estarmos em pista fechada, mas o Inmetro fala em 5,3 km/l na cidade e 6,4 km/l na estrada, sempre com etanol (7,9 e 9,4 km/l com gasolina, na ordem). Verificaremos isso em breve. 

Chevrolet S10 2.5 Flex

Na terra, mesmo com menos força que a diesel, a S10 2.5 tem torque suficiente para sair de alguns atoleiros (não tão pesados), contando inclusive com a ajuda da reduzida. A tração 4x4 está disponível nas duas versões, assim como na sua principal concorrente na categoria, a Toyota Hilux. 

Quanto custa?

A tabela de preços da S10 2.5 Flex automática, com seus principais equipamentos, é a seguinte:
  • Chevrolet S10 2.5 AT6 LT - Direção elétrica com regulagem de altura, ar-condicionado manual, farol de neblina, computador de bordo, rodas de 16", capota marítima, piloto automático, conjunto elétrico (vidros, travas e retrovisores), monitoramento de pressão dos pneus, sensor de estacionamento traseiro, MyLink 2 com tela de 7" e espelhamento de smartphones via Apple CarPlay e Android Auto: R$ 107.990 (4x2) e R$ 116.990 (4x4)
  • Chevrolet S10 2.5 AT6 LTZ - LT + sistema de partida remota do motor, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, controle de descida, sensor de luz e chuva, alerta de saída de faixa, alerta de frenagem, rodas de 18", ar-condicionado automático de uma zona, retrovisor interno fotocrômico, câmera de ré, sensor de estacionamento dianteiro, luzes diurnas em LED, MyLink2 com tela de 8" e GPS, OnStar: R$ 122.990 (4x2) e R$ 129.990 (4x4).
Os preços são competitivos diante da Hilux flex, principalmente se levarmos em conta que o motor da Chevrolet é mais moderno e potente. Peca, porém, pela falta do controle de tração e estabilidade na versão LT.
A diferença nas vendas entre as picapes da Chevrolet e da Toyota, até março, era de 1.528 unidades no acumulado. Ou seja, a GM tem nove meses para fazer a S10 vender 170 unidades/mês a mais que a Hilux para recuperar a liderança. Será que vai conseguir?
Fotos: divulgação 

FICHA TÉCNICA CHEVROLET S10 2.5 FLEX AT 4X4

MOTORdianteiro, longitudinal, quatro cilindros, 16 válvulas, 2.457 cm3, duplo comando com variação, injeção direta, flex
POTÊNCIA/TORQUE
197 cv a 6.300 rpm (gasolina) e 206 cv a 6.000 rpm (etanol) / 26,3/27,3 kgfm a 4.400 rpm
TRANSMISSÃOautomática de 6 marchas; tração 4x4 com reduzida
SUSPENSÃOindependente de braço duplo na dianteira e semi-independente com feixas de molas e eixo rígido na traseira
RODAS E PNEUSalumínio de aro 18" com pneus 265/60 R18
FREIOSdiscos ventilados na dianteira e tambor na traseira com ABS e EBD
PESO1.934 kg em ordem de marcha
DIMENSÕEScomprimento 5.361 mm, largura 1.874 mm, altura 1.831 mm, entre-eixos 3.096 mm
CAPACIDADEStanque 76 litros; capacidade de carga 816 kg
PREÇO R$ 129.990

MEDIÇÕES MOTOR1 BR 
  Chevrolet S10 2.5 flex AT
Aceleração 
 0 a 60 km/h3,8 s
 0 a 80 km/h5,9 s
 0 a 100 km/h11,8 s
Retomada 
 40 a 100 km/h em D9,2 s
 80 a 120 km/h em D9,0 s
Frenagem 
 100 km/h a 042,0 m
 80 km/h a 026,0 m
 60 km/h a 014,8 m
Consumo (INMETRO) 
 Ciclo cidade5,3 km/l 
 Ciclo estrada6,4 km/l
fonte: Carplace

segunda-feira, 24 de abril de 2017

AO VIVO - Mitos & Fatos - Jovem Pan discute Cidades do Futuro

Resultado de imagem para Mitos & Fatos - Jovem Pan discute Cidades do Futuro



fonte: youtube

Centrais preparam greve geral para o dia 28

Resultado de imagem para Centrais preparam greve geral para o dia 28
Centrais sindicais organizam greve geral (ou paralisação nacional) para a próxima sexta-feira, dia 28. Eles dizem que pode ser a maior mobilização de trabalhadores e de diversos setores da sociedade dos últimos 30 anos no Brasil. O protesto contra as reformas da Previdência e trabalhista e a Lei da Terceirização está sendo convocado por oito centrais sindicais que, juntas, representam mais de 10 milhões de trabalhadores.
Segundo sindicalistas, a última grande paralisação envolvendo diversas categorias ocorreu em 1986, durante o governo Sarney, contra o Plano Cruzado. "Esperamos que seja a maior mobilização já ocorrida até agora", diz João Carlos Gonçalves, secretário-geral da Força Sindical. "Estamos orientando as pessoas a não saírem de casa, a não irem ao supermercado, aos bancos etc".
Grandes categorias de várias capitais aprovaram a paralisação em assembleias, entre as quais metroviários, motoristas de transporte público, motoboys, bancários, metalúrgicos, professores de escolas públicas e privadas, petroleiros, funcionários dos Correios, da construção, do comércio e da saúde.
"O momento é muito grave, principalmente depois da aprovação da urgência para a votação da reforma trabalhista sem que haja uma discussão mais profunda sobre o tema", afirma Ricardo Patah, presidente da UGT. "Nem na ditadura foram tomadas decisões tão graves como agora."
Boletim assinado pela CUT, UGT, CTB, Força Sindical, CSB, NCST, Conlutas e CGTB, com tiragem de 2 milhões de exemplares, está sendo distribuído em cidades do Estado de São Paulo com críticas às reformas e convocando a greve.
Em Belo Horizonte, a paralisação deve atingir cerca de 500 mil servidores públicos, além de bancários e outras categorias, preveem os sindicatos locais. Segundo a coordenadora-geral do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, Beatriz Cerqueira, as reformas ferem "de morte" direitos fundamentais da classe trabalhadora.
O diretor da CUT em Alagoas, Izac Cavalcante, diz que a central espera mobilizar pelo menos 100 mil trabalhadores no Estado. Segundo ele, 75 mil servidores públicos estaduais e cerca de 3 mil bancários deverão cruzar os braços. O protesto também terá a participação de parte do funcionalismo público federal e dos trabalhadores das empresas de transporte público de Maceió.
Escolas privadas. Em São Paulo, o Sindicato dos Professores, representante dos docentes de escolas particulares, contabiliza, até agora, cerca de 100 escolas que não terão aulas e cujos pais de alunos estão sendo informados pela direção das instituições. "Na próxima semana, as adesões devem aumentar", informa Silvia Barbara, diretora da entidade. Mobilização dessa magnitude na categoria não ocorre há mais de dez anos, diz.
Também indicaram adesão ao movimento na capital paulista os metroviários, motoristas, bancários, metalúrgicos, químicos, construção, entre outros. Em cidades do interior, como Sorocaba, cartazes do Sindicato dos Rodoviários informam passageiros nas rodoviárias sobre a greve geral. No fim de semana, haverá carreata na zona leste de São Paulo, da CUT, para chamar para o protesto.
No Ceará, Pernambuco, Santa Catarina e Maranhão, está prevista a adesão ao movimento de bancários e de profissionais de setores essenciais, como transporte, saúde e educação.

A greve geral que parou São Paulo faz 100 anos

Resultado de imagem para A greve geral que parou São Paulo faz 100 anos
São Paulo vive uma greve geral em 1917: veja esse e outros fotos históricos do mês de abril
São Paulo vive uma greve geral em 1917: veja esse e outros fotos históricos do mês de abril
A greve geral de 1917 parou São Paulo durante três dias por reivindicações trabalhistas como aumento salarial, jornada de oito horas diárias, fim do trabalho noturno das mulheres e dos menores de 14 anos, e também congelamento de preços dos alimentos e redução dos aluguéis.
A polícia interveio, barricadas foram erguidas nas ruas, lojas e armazéns foram saqueados. O comércio fechou, os transportes pararam e o que era um movimento grevista ganhou contornos de uma insurreição popular, mesmo porque os soldados da Força Pública e da Guarda Civil se recusavam a reprimir os grevistas.
Para por fim à greve os patrões, concordaram com 20% de aumento salarial, respeito ao direito de associação, não demissão dos grevistas, e assumiram compromisso de restringir o trabalho noturno dos menores e das mulheres. O governo libertou os operários presos.
A greve deu início a uma nova fase na história dos trabalhadores brasileiros. Patrões e governo passaram a reconhecer as entidades trabalhistas e viram a necessidade de negociar com elas. Para saber mais, clique aqui
Greve geral em São Paulo, em 1917: luta por salário mínimo digno e por mais direitos
Greve geral em São Paulo, em 1917: luta por salário mínimo digno e por mais direitos
  1. Uma das reivindicações da greve de 1917 era a criação do salário-mínimo para todos os trabalhadores do País.
  2. Por insistência das entidades operárias, o salário-mínimo foi discutido nos anos 1930, com Getúlio presidente, nos debates do marco regulatório das leis trabalhistas.
  3. O salário-mínimo foi criado em 1940 com 14 valores diferentes, aplicados num País dividido em 22 regiões e 50 sub-regiões. O valor dele no Rio, capital do país, era quase três vezes maior que no Nordeste.
  4. A partir daí a pauta dos trabalhadores passou a ser um valor único do salário-mínimo.
  5. Foi um atendimento por etapas. Em 1963 eram 38 valores diferentes, em 1974 foram reduzidos para 5, e a unificação do valor do salário-mínimo aconteceu em 1984.
  6. A reivindicação da greve de 1917 foi plenamente atendida 67 anos depois! Imagine se não tivesse começado naquela época?
Tia Ciata, a madrinha do samba
Hilária Batista de Almeida, a Tia Ciata, nasceu na Bahia em 23 de abril de 1854 e ainda jovem foi para o Rio, onde armou sua barraca de quitutes na Praça Onze. Mãe-de-santo, morava no cortiço Cabeça de Porco e era muito festeira, ou celebrando os orixás ou participando das rodas de partido-alto.
Tia Ciata: Quituteira, mãe-de-santo, festeira e referência afro
Tia Ciata: Quituteira, mãe-de-santo, festeira e referência afro
As tias baianas eram grandes quituteiras e festeiras, e reuniam a comunidade em encontros com música e dança que duravam dias. A casa de Tia Ciata era freqüentada por Pixinguinha, Donga, Heitor dos Prazeres, João da Baiana, Sinhô e Mauro de Almeida, e foi nela que nasceu o samba. A música Pelo telefone, primeiro samba registrado, foi sucesso no carnaval de 1917. Com a oficialização dos desfiles de rua, os grupos, antes do iniciarem o percurso, faziam parada obrigatória na Praça Onze e nas casas das tias baianas, consideradas as mães do samba. Atualmente, as tias são representadas e homenageadas pela ala das baianas das escolas de samba.
Diretas Já não passa em congresso submisso
Na grande mobilização nacional de 1983 e 84 pela volta das eleições diretas a presidente da República, no movimento conhecido por Diretas Já, o Congresso deu as costas à população.
Manifestações pelas Diretas Já foram realizadas por todo o País
Manifestações pelas Diretas Já foram realizadas por todo o País
Oito milhões de pessoas saíram às ruas, no maior movimento de massas do País, mas a emenda constitucional não foi aprovada. Em votação ocorrida em abril de 1985, a emenda teve 298 votos favoráveis, 22 a menos dos dois terços necessários. Foram, ainda, 65 votos contrários, 3 abstenções e 112 ausências, de congressistas que se omitiram num momento decisivo. Mesmo com a rejeição, a ditadura saiu ferida de morte e acabou no ano seguinte, e as eleições diretas para presidente aconteceram em 1989, num congresso já renovado.
É preciso resgatar o espírito das Diretas Já neste momento em que existem deputados federais e senadores de costas para a população e que colocam em risco direitos trabalhistas, previdenciários e sociais.
Só um grande movimento de massas terá condição de barrar tais retrocessos! E nas próximas eleições vamos promover uma renovação do Congresso para elevar o nível de comprometimento dos deputados e senadores para com a população.
Contra o monopólio do sal no Brasil Colônia
Injuriado e prejudicado com o descaso das autoridades portuguesas nos tempos do Brasil Colônia, Bartolomeu Fernandes de Faria, dono de terras paulista pelos lados de Jacareí, armou em abril de 1710 um grupo de 200 índios e escravos e invadiu a cidade de Santos para saquear os armazéns de sal estocado no porto, destinados à exportação.
Revolta pelo sal barato e abundante
Revolta pelo sal barato e abundante
A Revolta do Sal, como ficou conhecida, foi uma revolta nativista destinada a enfrentar o monopólio do sal criado pela Coroa Portuguesa, que visava garantir a quantidade necessária do produto para os países da Europa. Nos séculos 17 e 18, o sal foi importante devido à expansão da pecuária e ao aumento da produção de carnes salgadas. Como o foco era a exportação, o sal aqui no Brasil era escasso e caro.
A ação de Bartolomeu prejudicou a exportação do sal e causou revolta na Coroa, que determinou sua prisão. Ele sofreu uma das maiores perseguições no período do Brasil Colônia, até ser preso oito anos depois do saque, já aos 80 anos de idade, e morreu meses depois, antes de ser julgado.
Agenda de abril no mundo
Hino revolucionário - A Marselhesa, o hino da revolução – Em 25 de abril de 1792 o oficial francês e músico amador Rouget de l’lisle compõe a canção O canto de guerra para o exército do Reno, num momento em que a França estava envolvida em uma guerra interna, contra a monarquia francesa; e também numa guerra contra as monarquias vizinhas, que queriam acabar com a nova Nação Francesa. A canção, levada a Paris pelos soldados de Marselha, foi adotada nas frentes de batalha e hoje é o hino oficial francês. Para saber mais, clique aqui
Corpos de Mussolini e de outros fascistas pendurados em praça pública, em Milão
Corpos de Mussolini e de outros fascistas pendurados em praça pública, em Milão
Morte de Mussolini coloca fim ao fascismo – Em 28 de abril de 1945, ao final da Segunda Guerra Mundial, o ditador italiano Benito Mussolini, sua amante Clara Petacci e outros 17 líderes fascistas foram executados pelos soldados da resistência quando tentavam fugir do país.
Milhares de pessoas se aglomeraram na Piazza Loreto, em Milão, para ver os corpos pendurados de cabeça para baixo. Era o fim de um governo violento e sanguinário que durou décadas.
Revolução dos Cravos – No dia 25 de abril de 1974 militares descontentes com a ditadura derrubaram o regime salazarista em Portugal que já durava 48 anos e restabeleceram as liberdades democráticas no País.
Chico Buarque compôs Tanto Mar em duas versões, a primeira logo após a revolução e a segunda depois que o movimento se desfez. Nos dois momentos, o Brasil ainda vivia sob a ditadura militar. Para ver a entrevista em que Chico Buarque fala sobre Tanto Mar, clique aqui
Gramsci, teórico e prático - O teórico e militante italiano Antonio Gramsci morreu em 27 de abril de 1937, aos 46 anos, depois de ficar 11 anos preso durante a ditadura de Benito Mussolini. Confira algumas de suas frases:
Antonio Gramsci
Antonio Gramsci
“Somos criadores de nós mesmos, da nossa vida, do nosso destino e nós queremos saber isto hoje, nas condições de hoje, da vida de hoje e não de uma vida qualquer e de um homem qualquer.”
“Odeio os indiferentes. Como Friederich Hebbel acredito que 'viver significa tomar partido'. Não podem existir os apenas homens, estranhos à cidade. Quem verdadeiramente vive não pode deixar de ser cidadão, e partidário. Indiferença é abulia, parasitismo, covardia, não é vida. Por isso odeio os indiferentes.”
“Os jornais são aparelhos ideológicos cuja função é transformar uma verdade de classe num senso comum, assimilado pelas demais classes como verdade coletiva - isto é, exerce o papel cultural de propagador de ideologia. Ela imbute uma ética, mas também a ética não é inocente: ela é uma ética de classe.”
fonte: ABC Maior

Com a presença de Neto, Chapecoense apresenta elenco para 2017

AS MAIS VISTAS

Seguidores

COMPARTILHAR POSTAGENS