- Acorda Brasil - Simone Simaria Villa Mix Ao Vivo Brasilia 2017 Show Completo - Tô ryca! Filme Nacional Comédia - Gol 1000 completa 10 anos e Romário relembra: 'Fiz história' - O presidente acuado - Assista todos os vídeos da delação da JBS -

segunda-feira, 29 de maio de 2017

AO VIVO - Jovem Pan Morning Show

Resultado de imagem para JOVEM PAN MORNING SHOW



fonte; youtube

Campeões da América Latina – Onix e Gol lideram em 2017

Resultado de imagem para onix joy

O domínio do Onix superou as fronteiras do mercado brasileiro no 1º quadrimestre do ano. De acordo com a focus2move, o hatch da Chevrolet foi o modelo preferido na América Latina com 64.798 unidades vendidas em 28 países da região, uma alta de 24,3% sobre o resultado de 2016.


Quase vinte mil unidades atrás do líder, o VW Gol (47.528) manteve a segunda posição, mas viu cair para aproximadamente três mil unidades a vantagem sobre o Ka (43.264), terceiro colocado – o Ford havia sido apenas o oitavo nos quatro primeiros meses de 2016.



Sandero RS Racing Spirit

Quem também se destacou foi o Sandero. Com um crescimento de quase 70%, o modelo da Renault conquistou 39.517 consumidores e saltou da 13ª para a quarta posição. Muito próxima do hatch da marca francesa, a Toyota Hilux (38.812) foi a única picape a figurar nas dez primeiras colocações.



Nissan Versa CVT

Auxiliado pelas fortes vendas no México, onde é o preferido, o Nissan Versa (36.606) ficou à frente do Hyundai HB20 (32.454) – que perdeu quase 20% das vendas em um ano – na disputa pelo sexto lugar. A marca japonesa ainda emplacou o March (30.053) na 10ª colocação.



Comparativo Corolla x Civic

Mesmo recuando pouco mais de 11%, o Toyota Corolla (30.439) foi o sedã médio nº 1 entre os latino-americanos – rivais mais próximos, VW Jetta (19.301) e Nissan Sentra (19.120) completaram o top 20. 13º, o Honda HR-V (25.996) liderou entre os SUVs/crossovers, mesmo perdendo 10% das vendas.



Fiat Grand Siena 1.0 Fire 2017

No lado negativo, menção para o Fiat Siena: com 12.728 unidades, o sedã de entrada da marca italiana registrou queda de quase 40% – a maior dentre os cinquenta modelos mais bem posicionados – e caiu da 18ª para a 45ª posição. Situação inversa à dos rivais Renault Logan (16.166) e VW Voyage (15.999), ambos com crescimentos superiores a 35%.



Volkswagen - logo


Com oito modelos, a Volkswagen foi a montadora com maior presença no top 50, seguida pela Chevrolet (7). Nissan e Fiat, com seis modelos cada, deixaram a Ford (5) em quinto lugar.

Veículos

POS.MODELO1º QUAD. 20171º QUAD. 2016%
CHEVROLET ONIX64.79852.13724,3%
VW GOL47.52841.46014,6%
FORD KA43.26431.94135,4%
RENAULT SANDERO39.51723.57567,6%
TOYOTA HILUX38.81236.0217,7%
NISSAN VERSA36.60636.3160,8%
HYUNDAI HB2032.45439.963-18,8%
CHEVROLET SPARK30.82925.25122,1%
TOYOTA COROLLA30.43934.245-11,1%
10ºNISSAN MARCH30.05325.19419,3%
11ºCHEVROLET PRISMA27.60025.2509,3%
12ºCHEVROLET AVEO26.80122.41919,5%
13ºHONDA HR-V25.99628.937-10,2%
14ºVW VENTO25.29521.15719,6%
15ºNISSAN PICK-UP24.84019.34328,4%
16ºFIAT PALIO20.82032.645-36,2%
17ºRENAULT DUSTER20.14917.55914,8%
18ºFIAT MOBI19.9211.1891575,4%
19ºVW JETTA19.30120.791-7,2%
20ºNISSAN SENTRA19.12018.3844,0%
21ºFIAT TORO19.0498.176133,0%
22ºFORD FIESTA18.62417.9943,5%
23ºFIAT STRADA17.95421.716-17,3%
24ºFORD ECOSPORT17.43519.109-8,8%
25ºVW UP17.17418.723-8,3%
26ºVW SAVEIRO16.96217.724-4,3%
27ºHONDA CIVIC16.2579.82065,5%
28ºRENAULT LOGAN16.16611.81236,9%
29ºVW VOYAGE15.99911.84335,1%
30ºNISSAN KICKS15.8831.0341436,1%
31ºCHEVROLET S1015.85913.25519,6%
32ºFORD RANGER15.14913.37413,3%
33ºJEEP RENEGADE14.31318.658-23,3%
34ºKIA RIO14.18610.87430,5%
35ºJEEP COMPASS14.1818611547,0%
36ºKIA SPORTAGE13.75413.0325,5%
37ºHYUNDAI CRETA13.7257231798,3%
38ºVW FOX / CROSSFOX13.59018.799-27,7%
39ºTOYOTA YARIS13.34912.01311,1%
40ºNISSAN TSURU13.22317.446-24,2%
41ºTOYOTA ETIOS HATCH13.0009.54736,2%
42ºHONDA FIT12.79413.556-5,6%
43ºPEUGEOT 20812.77711.09715,1%
44ºCHEVROLET SAIL12.77012.1934,7%
45ºFIAT SIENA12.72820.123-36,7%
46ºFIAT UNO12.69115.760-19,5%
47ºFORD FOCUS12.55313.115-4,3%
48ºVW AMAROK12.25812.688-3,4%
49ºMAZDA311.46412.018-4,6%
50ºCHEVROLET SONIC11.23514.629-23,2%

Marcas

POS.MARCAMODELOS
VOLKSWAGEN8
CHEVROLET7
FIAT6
NISSAN6
FORD5
TOYOTA4
HONDA3
RENAULT3
HYUNDAI2
JEEP2
KIA2
12ºMAZDA1
PEUGEOT1
Fonte: focus2move

Devido a crise política, governo já estuda alternativa como medida provisória para à reforma da Previdência

Resultado de imagem para aposentado inss

BRASÍLIA - Diante do receio de que a crise política inviabilize a aprovação da reforma da Previdência, a equipe econômica já pensa em alternativas para conter o crescimento das despesas com benefícios. São medidas que poderão entrar em vigor imediatamente, por meio de medida provisória (MP) ou projeto de lei. Entre elas estão a elevação do tempo mínimo de contribuição na aposentadoria por idade nas áreas urbana e rural, atualmente em 15 anos, e a redução do valor da pensão por morte, que hoje é integral, independentemente do número de dependentes.
(Para não perder nenhuma informação, assine as newsletters de O GLOBO)
Também faz parte do cardápio o fim da fórmula 85/95 (soma de tempo de contribuição e idade para mulheres e homens, respectivamente), que entrou em vigor em dezembro de 2015 e permite o benefício integral. Outra possibilidade avaliada seria tornar proporcional o valor da aposentadoria por invalidez, que hoje é integral (a exceção seriam os acidentes de trabalho). Até a fórmula de cálculo do valor da aposentadoria — baseada atualmente em 100% das maiores contribuições — pode ser alterada via MP.

O problema é o alcance limitado desses mudanças em comparação à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287 — que altera as regras de aposentadoria para todos os brasileiros, com exceção dos militares — e que teve sua tramitação prejudicada pela crise política. As propostas alternativas valeriam apenas para os trabalhadores do setor privado (INSS) e comprometeriam dois grandes objetivos da proposta enviada ao Congresso: a fixação de idade mínima para aposentadoria e a convergência do regime previdenciário no País.

Estas questões poderiam ser enfrentadas futuramente, em uma espécie de fatiamento da reforma. Porém, em um primeiro momento, admitem fontes envolvidas nas discussões, poderia aumentar o fosso entre os dois regimes — INSS e regimes próprios de servidores públicos de União, estados e municípios.
Entre as propostas alternativas, duas delas teriam efeitos mais imediatos na redução de despesas: o aumento do tempo mínimo de contribuição e a alteração na fórmula de cálculo da pensão. Neste caso, o benefício cairia pela metade (50%), mais 10% por dependente, no limite de 100%, com fim da reversão de cotas (quando um filho atinge os 21 anos, a parcela dele atualmente é revertida para os demais dependentes).
O ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy, durante o governo Dilma, chegou a incluir essas alterações em uma MP que tratava das pensões, mas o governo acabou recuando. Na época, a previsão era economizar R$ 12 bilhões em quatro anos (entre 2015 e 2018). Segundo dados do governo, a pensão por morte é a terceira modalidade de beneficio mais dispendiosa do INSS, representando 24,3% do total das despesas.

Há ainda a possibilidade de incluir em uma MP a fórmula de cálculo da aposentadoria que está prevista na reforma. Ela prevê que, em vez de 100% sobre os 80 maiores salários de contribuição, o valor pago passaria a ser de 70% da média de todo o histórico de recolhimentos, acrescidos de um percentual por cada ano adicional de contribuição. O mesmo valeria para o valor da aposentadoria por invalidez.
Em outra frente, a fórmula 85/95, que permite o benefício integral, poderá ser extinta, enquanto os segurados passariam a sofrer novamente a incidência do chamado fator previdenciário — que reduz o valor do benefício para quem se aposenta jovem. A fórmula 85/95 entrou em vigência em dezembro de 2015 e já surtiu efeito no valor das aposentadorias: o benefício médio passou de R$ 1.855 para R$ 2.162 entre o primeiro e o segundo semestre de 2015, uma alta de 16,6%.

AO VIVO - CDH - Reformas da Previdência e trabalhista - 29/05/2017

Resultado de imagem para TV SENADO PAIN Reformas da Previdência e trabalhista



fonte: youtube

AO VIVO - Jornal da Manhã Rádio com imagem - 29/05/17

Resultado de imagem para jornal da manhã - jp




fonte: youtube

domingo, 28 de maio de 2017

Entrevista com Valdemiro Santiago | The Noite

Resultado de imagem para Entrevista com Valdemiro Santiago | The Noite



fonte: youtube

AO VIVO - Fantástico 28/05/2017

Imagem relacionada



fonte: youtube

Os cruzeirenses Josias Diniz e Andreia Gonçalves são citados nas planilhas da JBS


Resultado de imagem para Os cruzeirenses Josias Diniz e Andreia Gonçalves são citados nas planilhas da JBS
As planilhas da delação premiada do grupo JBS trazem os nomes de pelo menos nove políticos da região, incluindo dois deputados e dois vereadores. Lista essa entregue pelo diretor de relações institucionais do grupo, Ricardo Saud, à força-tarefa da operação Lava Jato.
Todas as doações citadas nas planilhas aconteceram em 2014, ano de eleições para deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente.
Essas delações do grupo JBS foram homologadas na quinta-feira (18) pelo ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), e a medida dá validade jurídica ao acordo e permite, a partir de agora, que a Procuradoria Geral da República peça novas investigações com base nos relatos.
Um dos nomes citados é o do deputado estadual Padre Afonso Lobato (PV) de Taubaté, que cumpre o quarto mandato na Assembleia Legislativa. Ele recebeu R$ 36.000 do grupo JBS.
Os outros cinco nomes citados nas planilhas da JBS são de políticos sem mandato e um deles é  ex-vereador de Cruzeiro Josias Diniz (SD), que concorreu à Assembleia Legislativa em 2014, recebeu R$ 69.064.
Completam a lista a cruzeirense Andreia Gonçalves (SD), candidata a deputada federal  por Taubaté, aparece nas tabelas da JBS com um repasse de R$ 104.138.
Todos os repasses envolvendo os nove políticos foram feitos por meio de doações oficiais, declaradas pelos candidatos à Justiça Eleitoral.
Tentamos entrar em contatos com Josias Diniz mas não obtevemos retorno. Andreia Gonçalves em sua rede social postou o seguinte nota:
NOTA DE ESCLARECIMENTO
Em respeito aos amigos e apoiadores, pessoas que acreditam em nosso trabalho e conduta, quero esclarecer que a matéria veiculada colocando minha candidatura à Deputada Estadual em 2014, como recebedora de doação da JBS, não corresponde à realidade. Todas as doações de campanha que recebi em 2014, como consta em minha prestação de contas encaminhada ao término da eleição à justiça eleitoral, vieram do partido pelo qual fui candidata, o Solidariedade. E para tanto, possuo os recibos eleitorais apresentados em minha prestação de contas, que comprovam a veracidade dessa informação.
Obrigada à todos pela atenção!

Os 19 candidatos no Vale do Paraíba e região que teve propina da JBS

Candidatos foram apontados na lista do delator da JBS (Foto: Reprodução/TSE)


Dos políticos que tiveram seus nomes citados nas planilhas da delação premiada do grupo JBS, somente cinco deles negaram envolvimento.
Eles foram unânimes ao negar qualquer envolvimento com o grupo e enfáticos ao afirmar que nunca tiveram contato “com qualquer empresário da JBS”.
A lista foi entregue pelo diretor de relações institucionais do grupo, Ricardo Saud, à força-tarefa da operação Lava Jato.
Todas as doações citadas nas planilhas aconteceram em 2014, ano de eleições para deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente.
As delações da JBS foram homologadas na quinta-feira (18) pelo ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal) –a medida dá validade jurídica ao acordo e permite, a partir de agora, que a Procuradoria Geral da República peça novas investigações com base nos relatos.
O deputado estadual Padre Afonso Lobato (PV) informou que a doação, de R$ 36 mil, foi recebida indiretamente, via Diretório Municipal do PV de São Paulo, e que os valores foram declarados à Justiça Eleitoral.
O deputado federal Flavinho (PSB) que, segundo as anotações de Saud, recebeu R$ 2.099 do grupo na campanha de 2014, disse ter recebido a notícia “com muita surpresa e indignação”.
Já a vereadora Maria das Graças Oliveira, a Graça (PSD), que teria recebido R$ 15 mil do grupo na campanha de 2014, disse que os recursos que recebeu foram por intermédio do diretório do seu partido à época, o PSB.
O ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, Isaac do Carmo, afirmou que a doação (de R$ 58 mil) que aponta a matéria foi realizada através de recursos legais repassados pelo comitê financeiro do Diretório Estadual do PT, conforme disponível para consulta no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
E, por fim, o vereador Valdir Alvarenga (SD), que recebeu doação de R$ 187.703,00, disse que os valores foram repassados pelo Diretório Estadual do Solidariedade, via conta bancária eleitoral específica da campanha.
Os demais políticos citados: Andreia Gonçalves (SD), de Taubaté,  o ex-vereador de Cruzeiro Josias Diniz (SD), a professora Ana Lídia Aguiar (PT), de São José dos Campos, e o ex-deputado federal Marcelo Ortiz (PSL), também foram procurados, assim como os diretórios de seus partidos. Mas, até a manhã desta terça-feira (23), ainda não tinham se manifestado.

Racionais ganham mostra sobre trajetória do grupo

Resultado de imagem para racionais

O ano é 1988. Enquanto o Brasil aprovava a Constituição e começava a sentir os efeitos de uma jovem e esperada democracia, estabelecida depois de mais de 20 anos de ditadura militar no país, quatro homens do Capão Redondo cresciam à margem de tudo aquilo.

A perspectiva de vida para quem vive nas "pontas da cidade", seja no Extremo Sul ou no Extremo Leste de São Paulo, é diferente. Enquanto um "playboy de pele branca", que estudou nos melhores colégios, dá um passo rumo ao estrelato, o moleque negro, pobre e favelado, sem qualquer possibilidade de ascensão, precisa dar cinco ou seis para continuar sobrevivendo. Mano Brown, Edi Rock, Ice Blue e KL Jay, integrantes e fundadores dos Racionais, um dos mais representativos grupos de rap do país, deram vozes a muitos desses garotos.

Com um discurso contundente, batidas inteligentes e letras que relatavam o cotidiano de quem nunca era visto pelos governantes, os Racionais criaram a verdadeira trilha sonora dos excluídos. Era, portanto, o cidadão brasileiro da periferia, sendo protagonista da música pela primeira vez na história.

Há quase 30 anos na estrada, parte da trajetória do grupo poderá ser vista na exposição Racionais MC's: Três Décadas de História, que será aberta na sexta-feira, dia 2 de junho, no Red Bull Station, no Centro de São Paulo. A entrada é gratuita. O evento faz parte do Red Bull Music Academy Festival São Paulo, que faz sua primeira edição no Brasil de 2 a 11 de junho.

A mostra inédita traz mais de 500 itens dos Racionais. São vídeos e fotos que pertencem aos quatro membros da banda. Além dos artefatos de luxo, haverá também elementos cenográficos usados nos shows e peças clássicas como o primeiro mixer usado por KL Jay.

"Quando começamos a conversar sobre a realização de uma exposição musical no local, os Racionais surgiram como primeira opção. São quase três décadas de carreira - que serão completadas em 2018 - e 20 anos de Sobrevivendo no Inferno (1997), o disco mais emblemático dos caras. Eles são fenômenos culturais e estão atrelados à história da cidade de São Paulo", diz Fernando Velázquez, curador da exposição.

Raridades

O espaço, que será dividido em dois andares, reunirá também objetos raros, como um quadro usado por Brown para escrever grande parte das letras dos Racionais. Os versos clássicos de Diário de Um Detento e Capitulo 4 Versículo 3 foram criados feitos ali, cercados pela pequena moldura de madeira facilmente quebrável. Na parte de trás do quadro, um escudo do Santos Futebol Clube e um coração vermelho com um "Eliane" escrito na parte central. Eliane Dias é o nome da mulher de Brown. Ela também é a responsável pela produtora Boogie Naipe, que cuida da carreira dos Racionais desde 2012.

A ideia começou a ser rascunhada em 2013, no aniversário de 25 anos de banda. "Queríamos, além da exposição, montar um documentário, mas ele não ficou pronto a tempo. Faltou masterizar. A gente deve finalizá-lo até metade do ano que vem, nos 30 anos de Racionais. Vale lembrar que os fãs foram fundamentais para que essa mostra se realizasse. Muitos dos objetos que serão expostos lá foram feitos por eles. Quadros, pinturas, cartas etc", conta ainda Eliane.

Além dos objetos raros já citados, a exposição Racionais MC’s: Três Décadas de História contará com um belo acervo de imagens do alemão Klaus Mitteldorf. Fotógrafo dos Racionais desde 1994, quando conheceu Mano Brown e companhia durante um ensaio para a Revista Trip, Klaus registrou os momentos mais importantes da carreira deles, incluindo a capa de Sobrevivendo no Inferno (1997).

"Aprendi o que é periferia por intermédio dos Racionais. Era assustador ver como as pessoas viviam ali no Capão Redondo na época da selvageria. Foi com eles que conheci a realidade do País. Fiquei chocado e, ao mesmo tempo, fascinado por tudo aquilo. Fotografei momentos importantes da carreira deles. No começo, eles eram tímidos e não sabiam se portar diante das câmeras. Hoje, no entanto, a história é outra", afirma Klaus.

Outros eventos

Além da exposição, Mano Brown, Ice Blue e Edi Rock também baterão um papo com fãs no próprio Red Bull Station no dia 5 de junho entre 19h e 21h. Na conversa, eles vão comentar o desenvolvimento da banda, os momentos mais importantes pelos quais passaram e como os discos dos Racionais se relacionam entre si. O jornalista André Caramante vai mediar o encontro. Antes disso, às 16h, o DJ e produtor KL Jay e seu filho Will apresentarão ao vivo músicas originais que foram sampleadas ou utilizadas como inspiração para compor algumas das faixas dos Racionais.

Informações gerais:
Onde? Praça da Bandeira, 137, Red Bull Station;
Quando? Terça à sexta-feira, das 11h às 20h. Sábado, das 11h às 19h. Somente até 11/06;


fonte: youtube

Com a presença de Neto, Chapecoense apresenta elenco para 2017

Seguidores

COMPARTILHAR POSTAGENS